Com espaço maior e área dedicada às artes, nova Galeria Lama no calçadão da João Pinto adiciona interessância à cena noturna da região

Antes localizada no prédio da antiga rodoviária de Florianópolis, a Galeria Lama está em novo endereço, no coração do Centro Leste, na João Pinto. Para quem conheceu o outro espaço, parece que a Galeria foi simplesmente transportada para lá: os neons, o bar, as luzes, toda a estética e o conceito estão ali. Mas tem novidades: com espaço maior, a Lama agora tem comidinhas no menu, uma área dedicada às artes, além de vista para o Centro Cultural da Marinha e o Terminal Urbano Cidade de Florianópolis – com entrada por ali também.

São dois salões: o primeiro, inaugurado em janeiro, é o transplante da antiga galeria, com balcão do bar e espaço para receber exposições rápidas, workshops e pequenas feiras. Já o segundo salão, aberto no último sábado (24), terá exposições mais longas e um palco para receber apresentações musicais e teatrais. Há ainda um estacionamento de bicicletas dentro do ambiente, sofás, e em breve uma mesa de sinuca.

“Todo projeto foi elaborado pela arquiteta Emanuella Wojcikiewicz, que já havia feito o bar da Caos anteriormente. Fizemos questão que fosse ela, pois queríamos manter a estética e já tinha convicção de que ela entendia o conceito e alma de nosso negócio”, diz David Vieira. O goiano, que morou em São Paulo e Londres antes de vir para Florianópolis, é quem está por trás da galeria desde que comprou o bar da Caos, ainda na esquina da Hercílio Luz com a Mauro Ramos.


“O bar me lembrava muito os locais que frequentava em Londres. E desde que havia voltado eu guardava essa vontade de ter um local que misturasse arte, música, café, gastronomia e entretenimento cultural”, relembra.

A ideia inicial era abrir um bike café ao lado da Caos mas, durante a pandemia, acabou decidindo comprar o bar.

“Antes de fechar esse negócio, eu havia convidado uma amiga para me ajudar, e juntos começamos a pensar no novo nome. Marcamos uma dia para revelarmos que nome cada um havia pensado, e para a nossa surpresa, pensamos exatamente o mesmo – ela havia sugerido Galeria Lama e eu Bar Lama”.

A inauguração oficial foi em 2 de abril de 2021, com todos os desafios de abrir um bar em meio às restrições da pandemia. Em julho de 2023, ele decidiu sair da empresa onde trabalhava para se dedicar ao empreendimento de forma integral, até que foi surpreendido pela notificação judicial que ordenava a desocupação do prédio por conta dos problemas estruturais do imóvel.

Foi o empurrão que faltava para mudar e investir ainda mais no negócio: David andou pelo Centro em busca de uma sala com um grande vão, onde pudesse transportar a estética do endereço original. Ele encontrou o espaço ideal no calçadão da João Pinto.

“O local era bem maior, mas aí me instigou, comecei a ver obras de arte por todas as paredes. Tínhamos espaço para cozinha, bar, arte, música e ainda com vista para um centro cultural! Sempre fui apaixonado em transformar lugares e ressignificá-los, e quando olhei para o prédio, bem mal valorizado por tanto tempo sem uso, pensei: ‘esse é o lugar que a galeria tem que ocupar!'”, finaliza.

A Galeria Lama ficou fechada de outubro de 2023 a janeiro de 2024, quando se mudou oficialmente para a João Pinto. Por enquanto, abre de quarta a sábado, das 18h à meia-noite, mas deve ampliar o horário em breve e funcionar também como café durante a tarde.


Exposição celebra a nova fase

LAMA – Origem, Cura e [Bio]diversidade é a exposição inaugural do novo espaço da Galeria. Com curadoria de Isabela Mendes Sielski, tem vasos de parede em terracota de Diego de Los Campos e fotografias de Lahana Amorim. O barro/lama/terracota e os corpos/corpas são elementos que agregam a exposição, em linguagens escultórica/fotográfica e performática.

A noite de abertura ainda contou com performance Coletivo Terrenas com Madu Maria, Nathaíne Marcele e música de Lucas Kinceler. O evento também teve artistas convidados para preparação de zine, capa do cardápio assinada pela artista Lara Abi- Zaid, com diagramação e logotipia de Ulli Cristine.

Acompanhe pelo @galeria.lama

Imagens: Pedro Ambrósio